SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 17:35

Então, mais chocolate!

Compartilhe:

blog10Aliás, por falar em chocolate, a Mars estaria negociando com a Ferrero Rocher um acordo de produção e distribuição no Brasil. Quem conhece a gula dos norte-americanos – como a fonte do RR – sabe que este acordo é apenas uma pequenina trufa. O que a Mars quer mesmo é comprar os ativos da Ferrero Rocher na América Latina.

 



SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 16:31

Um pouco de chocolate não faz mal

Compartilhe:

blog9A quem interessar possa: o duelo entre as duas maiores lojas de chocolate do Brasil vai
esquentar. A Cacau Par – dona da Cacau Show, maior concorrente da Brasil Cacau/Kopenhagen –, pretende abrir 200 lojas da rede Brigaderia em dois anos. Hoje são apenas 10 pontos de venda.

 

 

 



SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 15:29

Leilão de 4G marca retorno da AT&T ao Brasil

Compartilhe:

blog8Em meio ao rebuliço na telefonia nacional, com o intenso assédio sobre TIM e a GVT, a AT&T prepara seu retorno. Os norte-americanos, que tiveram uma fugaz passagem pelo Brasil, já sinalizaram à Anatel que vão participar do leilão das novas concessões de 4G, na faixa de frequência de 700 MHz.

 



SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 14:22

O novo plano de voo da Premier

Compartilhe:

blog7Assediada pelas empresas líderes do setor, a companhia de táxi aéreo Premier procura uma rota alternativa, leia-se a venda de uma participação a um fundo de investimento. Um forte candidato é o private equity Wellington Management Company.

 



SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 13:17

Mills e Rohr em um só tubo

Compartilhe:

blog6Os dutos das duas maiores empresas de estruturas tubulares do Brasil podem se fundir de vez. Dona de 25% da Rohr, a Mills estaria negociando a compra do controle da empresa paulista. Atualmente, a companhia está nas mãos da segunda geração dos sócios-fundadores – à frente os empresários Oscar Vicente Ferro e Fernando Rossi Canteruccio. Oficialmente, a Rohr disse "desconhecer qualquer negociação neste sentido." A operação daria origem a um grupo praticamente imbatível no segmento. Juntas, Mills e Rohr faturam por ano aproximadamente R$ 1,4 bilhão e detêm 65% de market share. A carioca SH, que assumiria a segunda posição do ranking, tem menos de 10% de participação no mercado.

 



SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 12:09

O laboratório da UnitedHealth

Compartilhe:

blog5 A UnitedHealth, controladora da Amil, segue os passos do ex-dono Edson Bueno. O grupo quer agora verticalizar a operação e montar sua rede de laboratórios no Brasil. Pode ser concorrente ou – por que não? – sócia do próprio Bueno, controlador da Dasa.

 

 



SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 10:37

Príncipe saudita avança em construtora

Compartilhe:

blog4O príncipe Khaled bin Alwaleed Al Saud (foto), herdeiro do trono na Arábia Saudita, vai gastar mais uns trocados no Brasil. Dono de 50% da Arcadia Engenharia, negocia a compra de mais 25% do capital. Além da construtora, Al Saud tem outros negócios no país, mais precisamente no setor portuário e na fabricação de guindastes.

 



SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 09:19

Petrobras e BSBios avançam sob a sombra do TCU III

Compartilhe:

blog3Apesar da ambiência contrária, Battistella pensa grande. Se os planos forem adiante, a BSBios praticamente duplicará sua produção, chegando a uma capacidade instalada da ordem de 650 milhões de litros por ano. Para convencer a Petrobras a abrir o caixa, Battistella usa como argumento a decisão do governo de aumentar o percentual de biodiesel misturado ao diesel. No mês passado, a dose subiu de 5% para 6%. Em novembro, passará a 7%. O Ministério de Minas e Energia já sinalizou novas elevações ao longo de 2015, no caso de um segundo mandato de Dilma Rousseff. Battistella também acena à estatal com a expectativa de aumento das exportações da BSBios. Por ora, no entanto, o que existem são apenas gotículas. A companhia fechou recentemente um contrato de venda de oito mil litros de biodiesel para o mercado europeu, o equivalente a menos de 3% da sua produção anual.

 

 



SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 08:56

Petrobras e BSBios avançam sob a sombra do TCU II

Compartilhe:

blog2Consultada, a BSBios negou os planos de expansão. Mas a fonte do RR é boa. E desdizer a veracidade de projetos estratégicos é uma matusalêmica prática defensiva das empresas. De qualquer forma está feito o registro. O que é difícil negar é a capacidade da dobradinha BSBios e Petrobras para produzir números impactantes. Foi justamente esta característica que colocou as duas empresas na alça de mira do TCU. Tudo começa em 2009, quando a Petrobras pagou R$ 55 milhões para ficar com metade da usina de Marialva. Seis meses antes, a BSBios havia desembolsado apenas R$ 37 milhões para assumir integralmente o empreendimento. Em 2011, as duas companhias firmaram um novo acordo. Dessa vez, a estatal pagou R$ 200 milhões para ficar com 50% da usina de Passo Fundo. BSBios e Petrobras asseguram que todas as operações seguiram valores de mercado. Por ora, ainda não conseguiram convencer o TCU, que está enfurnado nos contratos firmados pela dupla. Mas quem está aí para o TCU, ora bolas!

 

 



SEXTA-FEIRA, 29 AGOSTO DE 2014

Finanças | 08:33

Petrobras e BSBios avançam sob a sombra do TCU I

Compartilhe:

chamada1A Petrobras e o empresário Erasmo Battistella (foto) não estão preocupados com o rumo das investigações em curso no Tribunal de Contas da União (TCU). Ao que tudo indica, acham desprezível o risco que paira sobre sua parceria. Desde março, o TCU analisa as denúncias de irregularidades na associação entre a Petrobras Biocombustíveis e a BSBios, produtora de biodiesel controlada por Battistella. Mas o que interessa para a dupla são os negócios. Battistella e a estatal querem deixar o TCU em outra gaveta. De costas para as investigações, namoram um ousado projeto, que prevê a expansão das duas usinas da companhia, localizadas em Marialva (PR) e Passo Fundo (RS), e a construção de duas novas plantas industriais. O que mais chama atenção são os números sobre a mesa. Segundo fontes próximas às duas empresas, a cifra ultrapassa R$ 1 bilhão, mais do que a Petrobras Biocombustíveis investiu em todas as suas operações no ano passado.

 

 

 



QUINTA-FEIRA, 28 AGOSTO DE 2014

Finanças | 17:34

Plantão médico da Samsung

Compartilhe:

blog9A Samsung Medison, divisão de equipamentos médicos do grupo sul-coreano, está radiografando o mercado brasileiro de cima a baixo. Pretende anunciar duas aquisições ainda neste ano.

 



QUINTA-FEIRA, 28 AGOSTO DE 2014

Finanças | 16:27

Shell aumenta investimentos em E&P no Brasil II

Compartilhe:

blog8A Shell está disposta a aportar em torno de R$ 1 bilhão para dobrar a capacidade do estratégico campo Bijupirá & Salema, que representa 35% da produção da empresa no país. Deve investir também no campo Parque das Conchas. Ambos ficam na Bacia de Campos. Neste caso, o interesse da Shell é aumentar de 50% para 60% a participação no campo, que tem como sócias a indiana ONGC e a Qatar Petroleum. Esta última, dona de 23%, tem demonstrado interesse em reduzir gradativamente sua posição em função da estratégia de diversificar investimentos no Brasil.

 



QUINTA-FEIRA, 28 AGOSTO DE 2014

Finanças | 16:04

Shell aumenta investimentos em E&P no Brasil I

Compartilhe:

blog7Antes mesmo de encerrar as festividades por conta do aumento de quase 100% na produção da Shell no Brasil, o presidente André Araújo prepara-se para desembarcar na Holanda. Seu destino é Carel van Bylandtlaan 16, 2596 HR The Hague, endereço do quartel-general do grupo. O executivo leva na mala a proposta de ficar com o controle integral do campo Bijupirá & Salema, na Bacia de Campos. Para conseguir o feito, Araújo terá de negociar a compra dos 20% pertencentes à Petrobras. A estatal não tem sido a mesma sócia de outrora e segurado investimentos.

 



QUINTA-FEIRA, 28 AGOSTO DE 2014

Finanças | 15:01

Ashmore negocia participação em térmica

Compartilhe:

blog6O Ashmore Energy negocia a venda de 50% da térmica de Cuiabá para a Petrobras. Seu maior objetivo é assegurar o contínuo abastecimento do gás. A termelétrica já foi o patinho feio entre os ativos do grupo norte-americano no Brasil pela falta de gás boliviano. Depois que a Petrobras passou a fornecer o insumo, o negócio virou pepita porque a demanda pela energia é garantida.

 



QUINTA-FEIRA, 28 AGOSTO DE 2014

Finanças | 13:48

Verde mundo

Compartilhe:

blog5Carlos Wizard Martins (foto) guarda na manga um grande projeto para a Mundo Verde: a abertura das primeiras lojas no exterior, a começar pela Flórida. Aliás, foi justamente pelo estado norte-americano que o empresário iniciou a internacionalização da escola de idiomas Wizard, vendida no ano passado para a britânica Pearson.

 

 



QUINTA-FEIRA, 28 AGOSTO DE 2014

Finanças | 12:17

O dia em que Antônio Ermírio disse “não” ao Planalto

Compartilhe:

blog4Um futuro biógrafo de Antônio Ermírio de Moraes (foto) bem poderia contar a história da sua candidatura à Presidência da República. Ermírio seria ministro da Fazenda, em substituição a Maílson da Nóbrega, e, ato contínuo, se apresentaria à sucessão de José Sarney com o apoio do próprio. Na hora do vamos ver, o empresário, já com tudo combinado, rateou. Somente Sarney e poucos que presenciaram esse momento podem contá-lo com riqueza de detalhes. O empresário Roberto Marinho, caso estivesse vivo, seria outra boa fonte. Sabia de todas as minudências do ocorrido. De tudo isso, fica uma lamentação. A contribuição de Antônio Ermírio à nação, que já foi gigantesca, poderia ter sido bem maior.

 

 



QUINTA-FEIRA, 28 AGOSTO DE 2014

Finanças | 10:33

Megawatts a menos

Compartilhe:

blog3A lista de financiadores do novo pacote de ajuda às distribuidoras de energia deve sofrer uma importante deserção. Segundo informações filtradas junto ao próprio Ministério de Minas e Energia, o Credit Suisse tem feito mil e uma exigências para participar da tour de force. Os suíços ainda estipularam taxas de juros acima da média fixada pelos outros bancos. Coisa de quem pede o que sabe que não será dado.

 

 

 



QUINTA-FEIRA, 28 AGOSTO DE 2014

Finanças | 08:56

Sucessão da BRF se escreve com “S” de Sadia II

Compartilhe:

blog2Por motivos mais do que óbvios, a Sadia sempre foi tratada como carne de segunda na BRF. Logo na partida, os principais cargos da nova empresa foram entregues a dirigentes saídos das fileiras da Perdigão, a começar pelos então todo poderosos Nildemar Secches e José Antonio Fay. O jogo começou a virar com a chegada do tsunami Abílio Diniz, que varreu para longe a dupla de executivos. Nos últimos meses, Abílio parece cada vez mais empenhado em redimir a antiga Sadia. Do fim do ano passado para cá, nomes egressos da empresa voltaram à cena e pouco a pouco vêm ganhando espaço na gestão. É o caso do próprio Sergio Mandin, indicado em dezembro do ano passado para comandar a divisão Brasil do grupo. Logo depois, Augusto Ribeiro Jr., outro ex-Sadia, assumiu a diretoria financeira. Ao mesmo tempo, Walter Fontana Filho aproximou-se bastante de Abílio Diniz, tornando-se um dos principais interlocutores do empresário. Não há dúvidas de que a Sadia saiu do purgatório e voltou ao mundo dos vivos. A escolha de Mandin ou do próprio Fontana para o lugar de Galeazzi apenas consumaria a reencarnação. Com a palavra, Abílio Diniz.

 

 



QUINTA-FEIRA, 28 AGOSTO DE 2014

Finanças | 08:33

Sucessão da BRF se escreve com “S” de Sadia I

Compartilhe:

chamada1A Sadia está morta! Viva a Sadia! A sucessão de Claudio Galeazzi (foto) na presidência da BRF pode selar definitivamente a "ressurreição" da antiga empresa, que partiu desta para pior após sofrer bilionárias perdas com derivativos cambiais e ser engolida pela Perdigão. Segundo informações filtradas do próprio grupo, três nomes já despontariam como fortes candidatos ao lugar de Galeazzi, que deixará o cargo em dezembro: Pedro de Andrade Faria, Sergio Mandin Fonseca e Walter Fontana Filho. Da trinca, apenas Faria não tem ligação direta com a Sadia. Atual CEO da área internacional da BRF, o executivo é um dos sócios fundadores da Tarpon Investimentos, fiel escudeira de Abílio Diniz e acionista da companhia. Já os outros dois postulantes ao cargo de Galeazzi levam um "S" tatuado na pele. Walter Fontana Filho dispensa apresentações: herdeiro da Sadia, comandou a empresa por 14 anos. Era o presidente do Conselho de Administração no fatídico ano de 2008, quando a companhia levou uma pancada cambial de mais de R$ 2,5 bilhões. Quem também estava por lá na ocasião era Sergio Mandin, então diretor de mercado interno e um dos principais colaboradores de Fontana.

 



QUARTA-FEIRA, 27 AGOSTO DE 2014

Finanças | 17:17

Amaggi a caminho da África

Compartilhe:

blog9Ao que parece, o apoio da família Maggi à Dilma Rousseff vale também para a política externa do governo. O Grupo Amaggi planeja plantar soja na África.

 



QUARTA-FEIRA, 27 AGOSTO DE 2014

Finanças | 15:59

Esporte amador

Compartilhe:

blog8O clã Estefano parece ter mandado para escanteio a profissionalização da gestão da Cambuci, controladora da fabricante de artigos esportivos Penalty. Jogo após jogo, o maior acionista da companhia, Roberto Estefano (foto), estaria insistindo em tomar a bola das mãos de Paulo Oliveira, que o sucedeu na presidência executiva. Oficialmente, a Cambuci nega qualquer ingerência de Estefano na administração do grupo.

 

 



QUARTA-FEIRA, 27 AGOSTO DE 2014

Finanças | 14:18

Mitsui cresce à imagem e semelhança da Petrobras III

Compartilhe:

blog7A situação é ainda mais delicada no Rio Grande do Sul. O Gasbol só tem condições de entregar 2,8 milhões de metros cúbicos por dia, e este volume já está totalmente contratado pela Sulgás. E, ainda assim, há uma demanda reprimida pelo insumo equivalente a 40% deste volume. Ou seja: na mais conservadora das hipóteses, considerando-se apenas o atual déficit no abastecimento, o Rio Grande do Sul precisa de praticamente de "meio Gasbol". A construção do pipeline e a instalação de uma unidade de regaseificação em torno de quatro milhões de metros cúbicos dia dariam uma folga mais do que confortável para atender a todos os estados da região. Ou seja: ao que tudo indica, Mitsui e Petrobras têm um tríplice encontro marcado. Consultadas pelo RR, as duas empresas não retornaram.

 



QUARTA-FEIRA, 27 AGOSTO DE 2014

Finanças | 13:55

Mitsui cresce à imagem e semelhança da Petrobras II

Compartilhe:

blog6A entrada da Mitsui no capital da Sulgás está vinculada a outras duas importantes negociações. A Petrobras vislumbra no interesse dos japoneses a oportunidade de fisgar um sócio para dois projetos que há anos repousam sobre sua prancheta: a instalação de uma planta de regaseificação de GNL no Paraná e, sobretudo, a construção de um gasoduto para atender aos três estados da região. Ao se associar também à Sulgás, a Mitsui passará a ser mais do que candidata natural ao negócio; sua participação nos dois empreendimentos se tornará quase que obrigatória. A trading japonesa terá motivos de sobra para se unir à Petrobras com o intuito de equacionar os problemas que cercam o abastecimento de gás no Sul do país. A capacidade de entrega do insumo por meio do gasoduto Bolívia-Brasil, principal fonte de suprimento na região, está no limite do limite.

 



QUARTA-FEIRA, 27 AGOSTO DE 2014

Finanças | 13:32

Mitsui cresce à imagem e semelhança da Petrobras I

Compartilhe:

blog5A Mitsui já se enxerga como a empresa-espelho da Petrobras no Sul do Brasil. Está em curso uma negociação que poderá transformar o grupo japonês em sócio das três distribuidoras de gás da região, controlador de um dos maiores gasodutos do país e acionista de uma nova planta de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL). Em todos os casos, quem olhar para a Mitsui verá refletida a imagem da estatal, e vice-versa. O ponto de partida é o Rio Grande do Sul. A Mitsui articula a compra de parte das ações da Petrobras na Sulgás - a estatal é dona de 49% da companhia. A operação envolve a transferência de até 20% da distribuidora gaúcha, controlada pelo governo do estado. O negócio permitiria à Mitsui fincar bandeira nas três concessionárias de gás da Região Sul, uma condição que hoje pertence exclusivamente à Petrobras, sua sócia na paranaense Compagás e na catarinense SCGás.

 



QUARTA-FEIRA, 27 AGOSTO DE 2014

Finanças | 12:20

A “megassena” de Luiz Fazzio

Compartilhe:

blog4O executivo Luiz Fazzio (foto) não tem muito do que lamentar sua demissão da presidência do Carrefour, no ano passado. Do antigo empregador levou um polpudo bônus para não trabalhar em qualquer outra rede varejista ao longo de 2014 - há quem diga que a bolada chegou a US$ 1,5 milhão. E a vida em 2015? Fazzio já teria uma cadeira à sua espera na direção da chilena Cencosud no Brasil.

 

 



QUARTA-FEIRA, 27 AGOSTO DE 2014

Finanças | 11:09

Isso, sim, é terra encantada

Compartilhe:

blog3A norte-americana New America Investment deverá se associar ao projeto de construção de uma torre de escritórios no local onde, um dia, funcionou o Parque Terra Encantada, na Barra da Tijuca. O terreno pertence à Queiroz Galvão Empreendimentos Imobiliários e à Cyrela.

 



QUARTA-FEIRA, 27 AGOSTO DE 2014

Finanças | 09:56

Miragem tarifária

Compartilhe:

blog2Para as distribuidoras, nem tudo é o que parece em relação ao aumento das tarifas de energia. Que o diga a Celpa, controlada pela Equatorial Energia. Dos 34% de reajuste recentemente autorizado pela Aneel, a companhia paraense embolsará o equivalente a apenas 2%. O restante será engolido pelo pagamento de impostos e pelos custos da compra de energia das geradoras. Não há conta que feche.

 



QUARTA-FEIRA, 27 AGOSTO DE 2014

Finanças | 08:29

Armínio Fraga pode antecipar sua saída da Gávea

Compartilhe:

chamada1JP Morgan, dono de 55% da Gávea Investimentos, e Armínio Fraga (foto) iniciaram conversas sobre uma possível antecipação da compra dos 45% restantes da gestora de recursos. A operação, prevista para o fim de 2015, ocorreria ainda neste ano. Ou seja: Armínio se desvencilharia das algemas de ouro que o prendem à Gávea até dezembro do ano que vem. Ficaria, portanto, livre para voar e aterrissar em um eventual governo Aécio Neves. Conforme estava escrito há mil anos. Procurada, a Gávea não quis se manifestar sobre o assunto.

 



TERÇA-FEIRA, 26 AGOSTO DE 2014

Finanças | 17:27

Cardeal do urânio

Compartilhe:

blog10Valter Cardeal (foto), diretor de geração da Eletrobras, tem feito tantas exigências, criado tantos empecilhos para a construção de Angra 3 que, na estatal, ninguém acredita que a usina nuclear entrará em operação em 2018, como previsto.

 

 



TERÇA-FEIRA, 26 AGOSTO DE 2014

Finanças | 16:08

Sanofi busca um remédio para as perdas da Medley III

Compartilhe:

blog9O laboratório já está no terceiro presidente em quatro anos: o atual inquilino do cargo é Wilson Borges (foto). Cabe a ele e ao nº 1 da Sanofi na América Latina, Patricie Zagame, a missão de conter a insatisfação dos acionistas do grupo na França, que cresceu ainda mais no último ano. Exatamente em agosto de 2013, a Sanofi teria sido obrigada a lançar em balanço, de uma só vez, quase R$ 600 milhões em perdas referentes à operação brasileira.