QUINTA-FEIRA, 24 JULHO DE 2014

Finanças | 14:34

Procura-se um maquinista

Compartilhe:

blog6O governo procura um empresário disposto a encampar o projeto de construção de uma fábrica de trilhos de controle nacional. Jorge Gerdau (foto) chegou a ser o eleito. Mas isso foi lá atrás, quando o Deutsche Bahn do siderurgista ainda parava na Estação Planalto.

 



QUINTA-FEIRA, 24 JULHO DE 2014

Finanças | 13:07

Fraport de costas para a Invepar

Compartilhe:

blog5A Fraport teria rejeitado proposta feita pela Invepar para a montagem de um novo consórcio, que disputaria a próxima rodada de licitações aeroportuárias. O grupo alemão ainda se ressente da derrota no leilão do Aeroporto do Galeão. Consultada, a Invepar não quis comentar o assunto.

 



QUINTA-FEIRA, 24 JULHO DE 2014

Finanças | 11:53

Marfrig passa a sacolinha

Compartilhe:

blog4Poucos meses após captar US$ 850 milhões, o Marfrig já estuda uma nova emissão no exterior ainda para este ano. O objetivo é o mesmo: alongar o perfil da dívida, da ordem de R$ 6 bilhões.

 



QUINTA-FEIRA, 24 JULHO DE 2014

Finanças | 10:13

Impsa a caminho da Bolsa... de Nova York

Compartilhe:

blog3A argentina Impsa, fabricante de equipamentos para o setor elétrico, deverá abrir o capital em Nova York, e não mais no Brasil. Vai ver é vingança pela descarada torcida brasileira a favor da Alemanha.

 



QUINTA-FEIRA, 24 JULHO DE 2014

Finanças | 08:52

Nivea rejuvenesce sua operação no Brasil II

Compartilhe:

blog2A Beiersdorf pretende trazer para o mercado brasileiro a marca de desodorantes 8x4 - na América do Sul, suas vendas estão restritas a Colômbia, Equador, Venezuela e Peru. Também vai fabricar no Brasil a linha Eucerin, de produtos para a pele e tratamento capilar. Os investimentos refletem a crescente importância do Brasil no mapa-múndi da Nívea. Mobilidade social faz bem para a pele. Uma parcela expressiva dos mais de 35 milhões de brasileiros que ascenderam à classe média na última década tornou- se contumaz consumidora de hidratantes, esfoliantes e cremes antirrugas. Desde 2010, as vendas da Nívea no Brasil vêm crescendo, em média, 20% ao ano. Com os novos produtos, a expectativa dos alemães é que este índice se aproxime dos 30% em até dois anos. Se entregar este resultado à matriz, Christian Götz terá marcado o gol do título.

 



QUINTA-FEIRA, 24 JULHO DE 2014

Finanças | 08:27

Nivea rejuvenesce sua operação no Brasil I

Compartilhe:

chamada1O alemão Christian Götz  (foto) - quase homônimo do novo herói germânico - terá pela frente sua própria final de Copa do Mundo. Nos próximos meses, caberá ao presidente da Nivea Brasil conduzir importantes mudanças na operação da fabricante de cosméticos. Em pauta, a entrada em novos mercados, aumento da produção industrial e, claro, um maior volume de investimentos. A Beiersdorf, controladora da empresa, vai investir cerca de R$ 150 milhões para ampliar a fábrica de Itatiba (SP). A meta é elevar o índice de nacionalização dos produtos vendidos nas gôndolas brasileiras de 60% para 80%. Com esta medida, os alemães vão cortar praticamente à metade o volume de importações para o mercado brasileiro. Mais do que isso: a expectativa da Beiersdorf é reduzir em quase 20% os custos operacionais da Nivea no Brasil. A expansão da planta de Itatiba permitirá à Nivea aumentar seu portfólio no Brasil. Consultada, a Nivea não retornou.

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 17:35

Hyosung avança sobre a Lycra

Compartilhe:

blog10Esquenta a batalha pelo mercado de fio elastano, exclusivíssimo segmento da indústria química. Com 40% de market share, a sul-coreana Hyosung promete investir rios de dinheiro para tomar a liderança até 2017. O posto pertence à Invista, dona da marca Lycra e do restante do mercado no país.

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 16:24

Unimed enfrenta problemas no Norte e no Nordeste

Compartilhe:

blog9A Unimed Brasil tem enfrentado uma crise atrás da outra no Norte e no Nordeste. Além dos problemas em Belém e em São Luís (as operações na capital maranhense tiveram de ser absorvidas pela Central Nacional), as Unimeds de Maceió e João Pessoa não vivem seus melhores dias. Procurada, a Unimed Brasil limitou-se a dizer que "acompanha a gestão econômica, financeira e operacional de suas 353 cooperativas médicas".

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 15:11

Fios que não se tocam, nem se desgrudam

Compartilhe:

blog8A Iberdrola vem tentando convencer a Previ a entrar no capital da Elektro, comprada pelos espanhóis em 2011. Curioso! Os ibéricos e o fundo de pensão vivem às turras na NeoEnergia.

 

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 13:47

Technos corre para acertar seus ponteiros II

Compartilhe:

blog7Um exemplo pontual: as despesas com rescisões trabalhistas teriam ficado 20% acima do projetado. Segundo informações obtidas junto a um dos fundos acionistas da Technos, a empresa deverá reduzir o portfólio e apertar os custos da fábrica de Manaus. A aquisição da Dumont aumentou o faturamento da Technos em quase 50%. No entanto, provocou dolorosos efeitos colaterais. No ano passado, o lucro (R$ 31 milhões) caiu 50% em relação ao balanço de 2012. No primeiro trimestre deste ano, a empresa fechou no vermelho: perdas de R$ 5,4 milhões. Não por coincidência, desde o início do ano as ações acumulam uma queda de 25% - no mesmo período, o Ibovespa subiu 8%. O RR entrou em contato com a Technos, mas a empresa não quis se pronunciar.

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 13:24

Technos corre para acertar seus ponteiros I

Compartilhe:

blog6Os ponteiros da Technos são duas flechas na direção de Joaquim Pedro Ribeiro, presidente da empresa. Para os acionistas da fabricante de relógios, leia-se as gestoras Dynamo, Victoria Capital e Squadra Investimentos, está mais do que na hora de o executivo frear a sucessiva perda de rentabilidade da empresa e estancar a queda de valor de mercado. Os resultados têm sido corroídos, sobretudo, pelo complexo processo de incorporação da Dumont, comprada no início do ano passado. Os custos se revelaram bem maiores do que o previsto, notadamente no que diz respeito à integração das respectivas áreas administrativas e da estrutura comercial.

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 11:35

Procura-se hóspedes para o Ramada

Compartilhe:

blog5A norte-americana Ramada tem hospedado números pouco atraentes em sua operação brasileira. Um exemplo é o Rio de Janeiro. Mesmo com a Copa, a taxa de ocupação de seu hotel na Barra da Tijuca estaria abaixo da meta desde o início do ano. O Ramada nega e afirma que a frequência está em torno de 70%, "em linha com a realidade da região".

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 09:52

Camargo Corrêa acha uma fenda no paredão do Cade IV

Compartilhe:

blog4Com sua fusão mundial, Lafarge e Holcim somarão 14% de market share. Também punida, a empresa suíça terá de se desfazer de uma fatia de sua produção correspondente a dois pontos percentuais de market share e não poderá expandir sua capacidade pelos próximos cinco anos. No entanto, logo que o órgão antitruste iniciou as investigações sobre formação de cartel, a Lafarge não se fez de rogada. Fechou um acordo, pagou cerca de R$ 43 milhões em multas e se livrou do processo. Uma pergunta não quer calar: o grupo francês poderá carregar essa "ficha limpa" para a nova empresa que será criada em parceria com a Holcim, tendo um salvo conduto para a ampliação de suas antigas fábricas? Neste caso, superar a Camargo Corrêa no ranking do setor seria apenas uma questão de tempo. Pouco tempo. Com a palavra, o Cade.

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 09:24

Camargo Corrêa acha uma fenda no paredão do Cade III

Compartilhe:

blog3Em um exercício hipotético, ao se desfazer de 20% da sua capacidade seguindo a determinação da autoridade antitruste, a Votorantim perderá algo em torno de 10% de market share. Mesmo com a proibição a novos investimentos, permanecerá como líder do setor, com mais de 30% das vendas de cimento no país. No entanto, no que diz respeito à Camargo Corrêa, proporcionalmente o prejuízo será muito maior. Caso seja forçada a vender o equivalente a um quinto da sua produção, a Camargo Corrêa perderá três pontos percentuais de market share. Sua fatia cairá de 18% para algo em torno de 15%. Significa dizer que o Cade, ainda que por vias oblíquas, estará arbitrando um novo ranking para a indústria cimenteira. Neste cenário, dificilmente a Camargo Corrêa – que, consultada pelo RR, não quis se pronunciar – conseguirá se sustentar na segunda colocação do setor.

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 08:59

Camargo Corrêa acha uma fenda no paredão do Cade II

Compartilhe:

blog2O plano estratégico da Intercement, braço da Camargo Corrêa na área de cimento, estabelece a construção de quatro fábricas nos próximos três anos. O programa de investimentos gira em torno de R$ 4 bilhões no triênio 2014/2016, ou seja, mais de R$ 1,3 bilhão por ano. Para efeito de comparação, o Votorantim desembolsou R$ 5 bilhões para expandir sua produção de cimento no intervalo entre 2008 e 2013 - portanto, uma média anual bem inferior, em torno de R$ 800 milhões. Ocorre que os Ermírio de Moraes - embora também duramente atingidos pela punição – têm mais gordura para queimar na grelha do Cade.

 



QUARTA-FEIRA, 23 JULHO DE 2014

Finanças | 08:34

Camargo Corrêa acha uma fenda no paredão do Cade I

Compartilhe:

chamada1A Camargo Corrêa encontrou uma fissura no que parecia uma muralha de concreto armado. Consultas a renomados juristas revelaram uma brecha na recente decisão do Cade, que puniu as quatro maiores cimenteiras do país por formação de cartel. O entendimento é de que o fato de ajuizar sobre abuso de poder econômico não confere ao órgão antitruste o direito de impor sanções capazes de depreciar o patrimônio das empresas e engessar sua possibilidade de recuperação futura. Além da venda compulsória de até 20% da atual capacidade instalada, o Cade determinou que as companhias condenadas não poderão fazer aquisições ou abrir novas fábricas pelos próximos cinco anos. Na avaliação dos pareceristas em direito econômico consultados pelo grupo, esta é uma decisão equivocada e de consequências extremamente graves, uma vez que ela produz assimetria concorrencial em relação aos julgados e punidos. No caso específico da Camargo Corrêa, os efeitos deste artificialismo podem ser ainda mais graves. Comparativamente, entre todos os condenados, nenhum outro grupo será tão afetado pelo congelamento dos futuros projetos de expansão.

 



TERÇA-FEIRA, 22 JULHO DE 2014

Finanças | 17:26

Dois bicudos

Compartilhe:

blog9Talvez seja um estresse passageiro, decorrente dos fracos resultados da Petros. Mas o presidente e o diretor de investimentos da fundação - respectivamente Carlos Fernando Costa e Newton Carneiro da Cunha - são dois executivos à beira de um ataque de nervos.

 



TERÇA-FEIRA, 22 JULHO DE 2014

Finanças | 16:09

Boeing faz pouso duplo no Brasil

Compartilhe:

blog8Além do centro de pesquisa e tecnologia em São José dos Campos (SP), a Boeing estuda montar no Brasil uma fábrica para a finalização de aeronaves militares. A planta atenderia a todo o mercado latino-americano.

 



TERÇA-FEIRA, 22 JULHO DE 2014

Finanças | 14:41

Enel dá um choque na direção da Endesa Brasil III

Compartilhe:

blog7Agora que a casa está razoavelmente arrumada, os holofotes se voltam à América do Sul, onde se concentram os principais ativos da companhia fora do Velho Continente. Há também um forte componente político na decisão da Enel. O grupo pretende dar uma demonstração de força aos antigos acionistas majoritários que ainda participam do capital da Endesa, a começar pelo próprio governo espanhol. A alta direção da subsidiária brasileira ainda remete aos tempos em que o centro de decisões da companhia ficava em Madri, e não em Roma. O chileno Marcelo Llévenes (foto) está na Endesa desde 1986. Entre 2001 e 2007, presidiu a Ampla. Teobaldo Leal, por sua vez, entrou no grupo há 11 anos. Entre outros cargos, comandou a área financeira da Edelnor, subsidiária da companhia no Peru. Procurada pelo RR, a Endesa não quis comentar as informações.

 



TERÇA-FEIRA, 22 JULHO DE 2014

Finanças | 14:14

Enel dá um choque na direção da Endesa Brasil II

Compartilhe:

blog6A fonte do RR afirma também que o tratamento de choque não ficará restrito à gestão executiva. Atingirá também o Conselho de Administração. Dos quatro integrantes de origem espanhola - indicados, portanto, pelos antigos controladores da Endesa - dois serão afastados do cargo. Segundo o RR apurou, os eleitos seriam José Ibañez-Martin, vice-presidente do Conselho e vice-diretor-geral da Endesa Internacional, e Rafael Lopez Rueda, que ocupa ainda a gerência-geral da Chilectra, distribuidora chilena também controlada pela Endesa. Da holding, os fios elétricos se estendem também às subsidiárias do grupo, leia-se a Ampla, do Rio de Janeiro, e à Coelce, do Ceará. Na Endesa, fala-se na saída do presidente da distribuidora nordestina, Abel Alves Rochinha. Pode-se dizer que, só agora, os italianos estão ocupando um imóvel que adquiriram há sete anos. Desde a compra do controle mundial da Endesa, em 2007, a Enel jamais fez mudanças significativas na gestão do grupo na América do Sul. Ao longo deste período, os italianos deram prioridade absoluta à reestruturação da Endesa na própria Europa.

 



TERÇA-FEIRA, 22 JULHO DE 2014

Finanças | 13:52

Enel dá um choque na direção da Endesa Brasil I

Compartilhe:

blogg5Pode até parecer pretensão ou irrealismo do RR anunciar uma razia de tamanha dimensão, mas a fonte das informações a seguir conhece cada fio elétrico da Endesa Brasil. O informante não deixa por menos: diz com todas as letras que a italiana Enel, controladora do grupo espanhol, prepara uma ampla, geral e irrestrita mudança no alto-comando da empresa no país. A fila dos eletrocutados seria puxada pelo próprio presidente da companhia, o chileno Marcelo Andrés Llévenes. Ele seria seguido pelo diretor financeiro, Teobaldo Cavalcante Leal. A intenção dos italianos é designar um executivo brasileiro para o posto de Llévenes – ainda não está definido se ele sairá das fileiras da Endesa ou se será contratado no mercado.

 



TERÇA-FEIRA, 22 JULHO DE 2014

Finanças | 12:21

Chineses avançam em Libra

Compartilhe:

blog4As chinesas CNPC e CNOOC, donas, cada uma, de 10% do Campo de Libra, querem se expandir no negócio. Já teriam iniciado tratativas com a Shell e a Total, que controlam 40% do consórcio. Consultada, a Petrobras, líder do consórcio, disse desconhecer a negociação entre os sócios.

 

 



TERÇA-FEIRA, 22 JULHO DE 2014

Finanças | 10:58

Com açúcar e afeto

Compartilhe:

blog3Cargill e Copersucar, que acabam de criar uma trading para a comercialização de açúcar, focam neste momento no mercado norte- americano. Até o fim do ano, pretendem abrir mais dois escritórios comerciais nos Estados Unidos.

 



TERÇA-FEIRA, 22 JULHO DE 2014

Finanças | 09:32

O fantasma “Juquinha”

Compartilhe:



Com a volta do PR ao Ministério dos Transportes, nos corredores da Valec já se ouve ao longe a voz de José Francisco das Neves (foto). "Juquinha", como é mais conhecido, foi afastado da presidência da estatal há dois anos em meio a denúncias de irregularidades.

 



TERÇA-FEIRA, 22 JULHO DE 2014

Finanças | 08:28

Indústria sucroalcooleira soma mais de 50 mil demissões

Compartilhe:



Há uma contabilidade macabra no Ministério de Minas e Energia. Nos últimos cinco anos, a indústria sucroalcooleira já cortou mais de 50 mil postos de trabalho. Quase 10% desta conta remetem ao Grupo João Lyra. Em falência, a companhia teria feito mais de 4,5 mil demissões nos últimos meses.

 



SEGUNDA-FEIRA, 21 JULHO DE 2014

Finanças | 17:31

Subway adota receita inédita

Compartilhe:

blog9A Doctors Associates, dona da rede de fast food Subway, estuda ter um máster franqueado no Brasil. Seria um prato exclusivo da cozinha brasileira. O grupo não adota este modelo em nenhum outro país. Oficialmente, a Subway nega a mudança.

 



SEGUNDA-FEIRA, 21 JULHO DE 2014

Finanças | 16:19

Ex-OGX pode dirigir Ecopetrol no Brasil

Compartilhe:

blog8Quem apostou que Paulo Mendonça (foto) jamais voltaria a pisar numa petroleira errou feio. O ex-presidente da finada OGX – que um dia chegou a ser chamado por Eike Batista de "Doctor Oil" – foi sondado pela colombiana Ecopetrol para assumir o comando da companhia no Brasil.

 

 

 



SEGUNDA-FEIRA, 21 JULHO DE 2014

Finanças | 15:08

A inusitada aritmética da Abril

Compartilhe:

blog7Há algo de estranho na matemática da Abril Educação. Em maio, o grupo vendeu 51% da Escola Satélite por R$ 5 milhões. Menos de dois meses depois, o empresário Ivan Caiafa, controlador da rede de ensino, já teria recebido uma oferta de R$ 10 milhões pelos mesmos 51%.

 



SEGUNDA-FEIRA, 21 JULHO DE 2014

Finanças | 13:51

Uma pausa para o café

Compartilhe:

blog6Uma notícia curta para a hora do cafezinho: a trading asiática Olam pretende anunciar em até três meses a aquisição de uma torrefadora de café no Brasil. O grupo é dono da Seda Solubles, líder na produção de cafés solúveis na Espanha.

 

 

 



SEGUNDA-FEIRA, 21 JULHO DE 2014

Finanças | 12:06

Fundação IBM investe em infraestrutura

Compartilhe:

blog5Dona de um patrimônio da ordem de R$ 5 bilhões, a Fundação IBM vai sair da caverna. Há anos sem fazer qualquer grande investimento em renda variável, o fundo de pensão pretende comprar participações em empresas de infraestrutura e do setor imobiliário.