TERÇA-FEIRA, 23 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 12:53

Por debaixo da terra

Compartilhe:

blog6A aquisição de 60% da Galvani foi só a primeira enxadada. A norueguesa Yara teria acertado uma opção de compra de mais de 20% da fabricante de fertilizantes até o fim de 2015. Daí para o empresário Rodolfo Galvani Jr. deixar o negócio de vez, seria um pulo. Procuradas, Yara e Galvani afirmaram, em coro, que não houve alteração em relação ao acordo anterior.

 



TERÇA-FEIRA, 23 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 11:42

“Marina da Marina”

Compartilhe:

blog5Alfredo Sirkis (foto) tem “deixado” escapar que está com um pé no Ministério do Meio Ambiente em um eventual governo de Marina Silva. Bem, não chega a espantar ninguém.

 



TERÇA-FEIRA, 23 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 10:37

Abengoa mete a faca em seu passivo

Compartilhe:

blog4Os executivos da Abengoa Bioenergia, braço sucroalcooleiro do grupo, se sentem como trabalhadores no meio de um canavial. Passaram os últimos meses com um facão em cada mão, até conseguir reduzir as dívidas de curto prazo da empresa em 40%. Suados, acharam que podiam até descansar. Mas os espanhóis querem mais.

 



TERÇA-FEIRA, 23 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 09:21

Lego e MCassab são peças que já não se encaixam tão bem III

Compartilhe:

blog3Nesse período, a performance no país nunca deu aos dinamarqueses a segurança necessária para assumir toda a importação e, sobretudo, a distribuição de seus produtos, sempre a cargo do parceiro. Mas os números recentes apontam para outra direção. Em 2013, o faturamento subiu 60% - quem tem filhos pequenos em casa certamente não se surpreende nem um pouco com o índice. Mas nem é preciso tanto. Um crescimento médio anual na casa dos 30% já justificaria o redesenho do acordo com a MCassab. Neste cenário, o mais provável é que a Lego assuma a gestão dos pontos de venda e de toda a parte comercial, cabendo aos brasileiros um papel secundário. O passo seguinte seria a retomada da produção no país, interrompida no início dos anos 2000.

 



TERÇA-FEIRA, 23 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 08:57

Lego e MCassab são peças que já não se encaixam tão bem II

Compartilhe:

blog2No entanto, os escandinavos pretendem abrir o caixa e investir na abertura de pontos de venda nas principais capitais. E esse talvez seja o momento em que o grupo tomará gosto por brincar sozinho no Brasil. Consultada pelo RR sobre seus planos, a Lego limitou-se a dizer que opera no país desde o início do ano, mas não se pronunciou sobre futuros projetos e nem sobre a relação com a MCassab. Quem tenta se equilibrar sobre esta relação de encaixes e desencaixes é o executivo Robério Esteves. Fossem as duas empresas blocos de concreto de uma mesma ponte, ele estaria rigorosamente posicionado sobre a junta de dilatação. Esteves é metade Lego, da qual é o principal executivo no país, e metade MCassab, na qual comanda a diretoria de operações. Sua missão é alçar o Brasil a um dos dez maiores mercados do grupo no mundo - por ora, a subsidiária ainda luta para se firmar no G20. Esteves já vivenciou duas fases distintas da Lego no Brasil: de 1988 a 2003, acompanhou a empresa em seus anos de voo solo; a partir da associação com a MCassab, passou a usar o duplo crachá. Desde então, a Lego divide com a MCassab os riscos da operação brasileira.

 



TERÇA-FEIRA, 23 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 08:33

Lego e MCassab são peças que já não se encaixam tão bem I

Compartilhe:

chamada1De quem são os Legos que começam a se espalhar em profusão pelo Brasil? Dos herdeiros de Ole Kirk Christiansen, que fundou a empresa há mais de 80 anos, ou do grupo paulista MCassab, representante da marca no país desde 2004? Talvez neste momento a resposta não faça muita diferença. Mas, aos poucos, começam a surgir evidências de que a operação brasileira da Lego é um grande brinquedo que não tardará a ser todo desmontado e logo depois reconstruído, peça por peça, de acordo com um novo manual de instruções dos dinamarqueses. A recente abertura de um escritório próprio em São Paulo seria um dos preparativos adotados pelo grupo para assumir o negócio no país. O mesmo raciocínio se aplica aos planos da companhia na área de varejo. Por força de contrato, as três lojas da Lego no Brasil são administradas pela MCassab.

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 17:35

Pressão total na Tecumseh

Compartilhe:

blog10Líderes sindicais da região de São Carlos (SP) procuraram o RR, fazendo um apelo para que fosse divulgada a decisão da Tecumseh de conceder férias coletivas. Os sindicalistas estão apavorados com o porvir. Afirmam que as vendas da fabricante de compressores vêm caindo mês a mês. Oficialmente, a Tecumseh nega a decisão.

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 16:21

Grupo espanhol quer comprar Costão do Santinho III

Compartilhe:

blog9A busca por hotéis também revela outra importante mudança na estratégia do grupo no Brasil. Nos últimos dois anos, os espanhóis ficaram debruçados sobre os planos de um novo resort no Nordeste, mas o empreendimento foi para a gaveta. A prioridade da Iberostar agora é comprar pronto, apostando em projetos já amortizados e maturados. É o caso do Costão do Santinho, construído há 20 anos.

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 15:56

Grupo espanhol quer comprar Costão do Santinho II

Compartilhe:

blog8A Iberostar, por sua vez, informou que "está permanentemente buscando novas oportunidades" e acrescentou que só divulga estes negócios quando os "acordos estão totalmente confirmados." Não precisa dizer mais nada. Segundo um dos mais requisitados consultores da área hoteleira no país, que acompanha a Iberostar desde a sua chegada ao Brasil, os espanhóis estariam dispostos a desembolsar algo em torno de R$ 150 milhões na aquisição. Uma vez confirmado, este seria o segundo maior negócio do setor no país em quase uma década - contando-se especificamente um único hotel. Mas pode muito bem ser o primeiro caso a venda do Glória para a suíça Acron vá mesmo para o espaço. Os espanhóis estão convictos de que sua operação no país não pode mais ficar restrita ao Nordeste, sob pena de uma excessiva regionalização da marca e dos restritos ganhos de escala decorrentes desta concentração geográfica.

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 15:41

Grupo espanhol quer comprar Costão do Santinho I

Compartilhe:

blog7Presente apenas no Nordeste – e em um só estado, a Bahia –, a Iberostar pretende descer o litoral brasileiro e pisar em novas praias. Os espanhóis estariam negociando a compra do Costão do Santinho, em Santa Catarina, um dos maiores complexos hoteleiros do Brasil. Pertencente ao Grupo Fernandes Marcondes, o empreendimento já viveu temporadas melhores. Há algum tempo o volume de hóspedes estrangeiros está abaixo da média histórica. Os investimentos de R$ 5 milhões na construção de um centro de convenções ainda não surtiram os efeitos esperados para a captação de clientes corporativos. Procurado pelo RR, o Costão do Santinho negou a venda do controle.

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 14:03

Longe dos olhos de Marina

Compartilhe:

blog6Das duas uma: ou Marina Silva reviu uma de suas mais pétreas posições ou, no PSB, o que a presidenciável diz não se escreve. Executivo de uma das maiores produtoras de defensivos agrícolas do país - ou agrotóxicos, como reza o índex de Marina – garantiu ao RR ter sido procurado por um emissário do partido em busca de doação de campanha. O mais provável é que Marina esteja mesmo por fora dessa coleta.

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 12:51

Cabo eleitoral blasé

Compartilhe:

blog5Não obstante os sorrisos para fotografia, Blairo Maggi (foto) saiu do encontro com Dilma Rousseff, na semana passada, com a orelha flamejando. Dilma cobrou, cobrou e cobrou mais empenho do senador em sua campanha à reeleição. Para a presidenta, Blairo tem deixado a desejar onde mais se espera dele: na interlocução com o agronegócio.

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 10:59

Conta, Paulinho!

Compartilhe:

blog4O economista Paulo Guedes (foto), esse paladino da moral e ética, está metendo a borduna na corrupção que grassa no país. Uma coisa não tem nada a ver com a outra, que fique bem claro, mas seria legal se Paulinho contasse a história de como comprou o Ibmec.

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 09:18

Dilma deve anunciar plano de concessões antes da eleição III

Compartilhe:

blog3O fardel de concessões não deverá apresentar qualquer fato novo. A rigor, será formado a partir do carry over de anúncios anteriores, notadamente projetos incluídos no chamado PAC das concessões – o hiperprograma apresentado em 2012, que previa investimentos de quase R$ 140 bilhões. De qualquer forma, qualquer movimento será um salto em relação ao que há no horizonte para 2015 em termos de concessões de infraestrutura. O que existe, até o momento, são apenas projetos isolados, estanques, lançados em diferentes escaninhos. Um exemplo são as licitações dos aeroportos Afonso Penna, de Curitiba, Guararapes, do Recife e Varzea Grande, de Cuiabá, outorgas com as quais o governo espera arrecadar cerca de R$ 2,9 bilhões, segundo nota explicativa recém-enviada pelo Executivo ao Congresso Nacional. Isoladamente, estes números perdem força; enlaçados em um só pacote, ganham tonicidade. Serão concessões para todos os gostos. Só não entram neste embrulho as de rádio e TV. Até porque não são objeto de licitação. Essas ficam para o próximo ano, se Dilma seguir onde está e levar a ferro e fogo a propalada reforma das comunicações.

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 08:56

Dilma deve anunciar plano de concessões antes da eleição II

Compartilhe:

blog2Como as diretrizes não estão totalmente alinhavadas, o receio é que o tiro passe longe da oposição e pegue no pé da própria Dilma, ferindo a campanha pela reeleição. Ou seja: em vez de oportuna, a medida pode ser recebida como oportunista - até porque não deixa mesmo de ser. No entanto, o que ninguém duvida no governo é de que está mais do que na hora de sair da mesmice. As circunstâncias pedem alguma proposta capaz de criar a percepção de resgate do crescimento econômico e de promover uma reaproximação entre a presidenta e o setor privado. Com o anúncio do novo programa de concessões, o governo espera sensibilizar o empresariado e mitigar o preconceito e a raiva que têm pautado esta relação, características que só se acentuaram na reta final da campanha. Todos os recentes movimentos feitos por Dilma e pela equipe econômica têm sido recebidos pelos empresários ora com odiosidade, ora com frieza, caso, por exemplo, das medidas anunciadas nos últimos dias, como a redução do Imposto de Renda sobre lucro no exterior e os estudos para a ampliação dos descontos do PIS-Cofins. Para amansar a fera, nada melhor do que trazê-la bem para perto. O governo pretende discutir com a iniciativa privada a modelagem mais adequada e a engenharia financeira para a licitação das novas licenças.

 

 



SEGUNDA-FEIRA, 22 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 08:31

Dilma deve anunciar plano de concessões antes da eleição I

Compartilhe:

chamada1Dilma Rousseff está guardando para os últimos metros da campanha eleitoral uma cartada na tentativa de chacoalhar com as expectativas e falar direto ao bolso do empresariado. Trata-se de um plano de concessões para o setor de infraestrutura. O foco maior será a área de logística – ferrovias, rodovias, aeroportos e terminais portuários. Mas o caldeirão terá de tudo um pouco: projetos de mobilidade urbana, energia, inclusive geração nuclear, telecomunicações, leia-se frequências ainda encalhadas na Anatel, e saneamento. As discussões envolvem os ministros Aloizio Mercadante e Guido Mantega e o secretário do Tesouro, Arno Augustin, espécie de Rasputin de Dilma e responsável por alguns pontos em toda esta costura. A questão ainda não está fechada. Muito pelo contrário. No governo, há dúvidas em relação ao timing para a divulgação do projeto.

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 17:29

Térmicas à venda

Compartilhe:

blog10A Equatorial Energia procura um comprador para a subsidiária Geramar, que controla duas termelétricas no Maranhão.

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 16:14

Previ faz novo aporte na Costa do Sauípe

Compartilhe:

blog9Ganha um fim de semana na melhor suíte da Costa do Sauípe quem adivinhar o que a Previ será forçada a fazer no menos lucrativo complexo hoteleiro do Brasil: um novo aumento de capital? Bingo!

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 15:02

Cipasa se arruma para o novo controlador II

Compartilhe:

blog8A HSI aposta que, se esperar um pouco mais, poderá aumentar significativamente o dote pela Cipasa. É neste ponto que entra em cena Pedro Lodovici (foto), que vai deixar a diretoria financeira para assumir a cadeira de CEO no lugar de Sérgio Villas Bôas. Todos os esforços da sua gestão deverão ser concentrados na redução de custos e, sobretudo, no aumento do volume de lançamentos imobiliários. A meta é assegurar para 2015 um Valor Geral de Vendas da ordem de R$ 1 bilhão, 40% acima da cifra prevista para este ano. A Cipasa deverá lançar no próximo ano 25 empreendimentos. Com estes números, a HSI espera colocar na vitrine uma mercadoria com um preço bem mais gordo na etiqueta.

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 14:38

Cipasa se arruma para o novo controlador I

Compartilhe:

blog7A gestão de Pedro Lodovici à frente da Cipasa Urbanismo - uma das maiores empresas de loteamento imobiliário da América Latina - já nasce marcada por um paradoxo: quanto mais bem-sucedido ele for, menor será seu tempo de permanência no cargo. Lodovici, que assume a presidência da companhia no dia 1º de outubro, recebeu a missão de arrumar a casa para a chegada de um novo controlador. Pouco mais de um ano após desembarcar no negócio, herdado com a compra da gestora de recursos Prosperitas, a Hemisfério Sul Investimentos (HSI) pretende vender integralmente a sua participação, de 78%. Os dirigentes da HSI não precisam nem atravessar a rua para encontrar um candidato à compra da Cipasa. Desde o ano passado, a Global Logistic Properties (GLP), de Cingapura, vem rondando a construtora. Procuradas, as duas empresas não retornaram.

 

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 13:12

Parceria de aço

Compartilhe:

blog6Ligado a Aécio Neves, o consultor Vicente Falconi (foto) tem dando sinais de que vai "marinar". A aproximação é feita por Jorge Gerdau, outro que foi se achegando à candidata do PSB. Falconi jamais recusaria um pedido de Gerdau, histórico cliente e importante avalista. Há pouco mais de um ano, com as bênçãos do siderurgista, então muito próximo do Planalto, o Ministério do Planejamento, os Correios e a Infraero recorreram aos préstimos do Instituto de Desenvolvimento Gerencial, de Falconi. Os contratos somaram quase R$ 60 milhões.

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 11:38

Créditos a quem de direito

Compartilhe:

blog5O suspeito de sair copiando trechos de estudos e artigos alheios e incorporá-los ao programa do PSB é Eduardo Giannetti (foto). A turma mais ferina diz que a prova do crime são os livros de economista-filósofo, que não escondem um corta e cola danado. Maldade falar isso do Giannetti.

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 09:43

TIM vai para a vitrine cheia de riscos e passivos IV

Compartilhe:

blog4A gestão Luciani está visceralmente ligada aos riscos que rondam a TIM. Uma das caixas pretas da operadora são os critérios de provisionamento para potenciais riscos, notadamente tributários, adotados desde 2009. Hoje, o balanço aponta contingências da ordem de R$ 9,3 bilhões classificadas como possíveis perdas. A maioria esmagadora é de natureza fiscal: R$ 8,1 bilhões. Neste caso, no entanto, as provisões somam apenas R$ 184 milhões, o correspondente a 2%. A TIM sempre manteve como padrão uma provisão para potenciais dívidas fiscais na casa dos 10%. Se o zelo persistisse, dificilmente a empresa conseguiria pagar R$ 750 milhões em dividendos em 2013. Pela equivalência patrimonial, seriam R$ 500 milhões a menos no caixa do acionista controlador. Procurada pelo RR, a TIM não quis comentar as informações.

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 09:20

TIM vai para a vitrine cheia de riscos e passivos III

Compartilhe:

blog3Documentos entregues à 21ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal revelam práticas lesivas ao consumidor adotadas pela TIM. O processo traz anexado um e-mail que Luciani (foto) enviou a dirigentes da operadora antes mesmo de assumir a presidência da empresa. O executivo elenca uma série de procedimentos que os atendentes da TIM deveriam adotar para evitar o cancelamento de linhas. O manual de ataque ao consumidor inclui "declarar que os dados cadastrais estão incompletos", "reduzir a transparência e informações" e "exercer pressão no caso de faturas negativas". Luciani determina que a empresa procure formas de inclusão automática do assinante nas "listas negras de crédito". O fato de uma prestadora de serviços tentar agarrar a unha clientes fugidios não chega a ser um fato de outro mundo. Estranho seria se a TIM nada fizesse para reter seus assinantes. O que chama a atenção é a extensão das medidas propostas por Luciani e, principalmente, a suposta confissão do crime.

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 08:57

TIM vai para a vitrine cheia de riscos e passivos II

Compartilhe:

blog2Quem muito pisa no barro deixa rastros até por onde não anda. As novas denúncias contra a TIM têm origem num episódio que, a princípio, nada tinha a ver com a companhia. A Hoje Telecom, operadora de telefonia focada no mercado corporativo, entrou com uma ação contra a Telcomp - Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas. A empresa rompeu com a entidade por discordar de regras para cobranças de serviços e atendimentos de assinantes em vigência no setor. O que aparentemente seria apenas uma briga de paróquia acabou batendo no alto clero da operadora italiana. A Hoje Telecom teve acesso a cada uma das 14.316 páginas (sem contabilizar os anexos) do inquérito em curso na Procuradoria de Milão, que investiga o chamado escândalo dos "SIM Card" - a Telecom Italia é acusada de ter habilitado milhares de linhas de celulares de forma irregular.

 



SEXTA-FEIRA, 19 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 08:32

TIM vai para a vitrine cheia de riscos e passivos I

Compartilhe:

chamada1O fatiamento dos ativos da TIM, alvo de tantas discussões, talvez seja a parte menos complexa da história. O que promete ser o nó górdio da operação é o esquartejamento e posterior partilha dos seus passivos - por passivos entenda-se a dívida propriamente dita e, sobretudo, os riscos jurídicos pendurados na empresa. Agora mesmo, em meio às intrincadas negociações para a venda do controle, a TIM está prestes a ter seu nome envolvido em um novo escândalo. Documentos recém-entregues à Justiça brasileira indicam que a operadora adotou uma série de expedientes que violam o Código de Defesa do Consumidor, notadamente o decreto do SAC, e normas estipuladas pela própria Anatel. As denúncias apontam para a gestão de Luca Luciani (foto), que dirigiu a empresa de 2009 a 2012.

 

 



QUINTA-FEIRA, 18 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 17:34

Cabo de guerra na Taesa

Compartilhe:

blog10O FIP Coliseu, maior acionista da Taesa, quer esticar os investimentos da companhia para o exterior, com a compra de concessões de transmissão notadamente no Chile e na Argentina. Já a Cemig, que deu origem à empresa e mantém uma participação no capital, puxa o cabo com toda a força na direção contrária. Não demora muito e as linhas societárias da Taesa vão partir.

 



QUINTA-FEIRA, 18 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 16:18

Laboratório espanhol

Compartilhe:

blog9Uma das maiores fabricantes de medicamentos veterinários no mundo, a espanhola Bioplagen vai transformar o Brasil na base do grupo em todo o continente latino-americano. O grupo pretende instalar uma fábrica e um grande centro de distribuição no país.

 



QUINTA-FEIRA, 18 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 15:09

Acionistas questionam controlador da Bombril III

Compartilhe:

blog8Mesmo no Conselho de Administração, Ferreira Sampaio seguiria dando as cartas na gestão executiva. Segundo um dos investidores ouvidos pelo RR, quando Scaldelai assumiu a presidência da Bombril, em setembro do ano passado, já encontrou sobre sua mesa, com todos os pontos e vírgulas, o novo plano estratégico da empresa que pouco depois ele viria a "assinar". Línguas ainda mais ferinas afirmam que o ex-presidente da companhia, Antônio Marchioni, muito ligado a Ferreira Sampaio e hoje consultor informal, manda mais do que o próprio Scaldelai. Os acionistas questionam também a recente emissão de debêntures conversíveis feita pela Bombril, para muitos uma manobra com o objetivo de diluir a presença dos minoritários. Os investidores pressentem que esta estrada levará, em algum momento, ao fechamento de capital da companhia. Procurada pelo RR, a Bombril não quis se manifestar.

 



QUINTA-FEIRA, 18 SETEMBRO DE 2014

Finanças | 14:44

Acionistas questionam controlador da Bombril II

Compartilhe:

blog7De acordo com o dirigente de um grande fundo acionista da companhia, o investidor e demais minoritários já discutem as próximas medidas a serem tomadas, seja na esfera administrativa, leia-se um requerimento à CVM, seja no âmbito jurídico. Os minoritários exigem do sócio controlador maior transparência na administração da empresa. Segundo outro acionista ouvido pelo RR, a percepção é de que o presidente da Bombril, Marcos Scaldelai (foto), é uma figura decorativa.